MENU
ENTRAR •••••
CADASTRAR •••••

SENTIR – 2ª Mostra de Arte Sensorial e Inclusiva

sentir
De 13 a 17 de Dezembro acontece a SENTIR - 2ª Mostra de Arte Sensorial e Inclusiva no CCBB Brasília. Não perca!
Data: De 13 a 17 de Dezembro
Hora: Confira a programação
Local: CCBB Brasília - Setor de Clubes Sul, trecho 2.

Sobre

Com financiamento e patrocínio do FAC (Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal) e apoio do Centro Cultural Banco do Brasil, da Embaixada da Eslovênia em Brasília e da Universidade de Brasília (UnB), a SENTIR – 2ª Mostra de Arte Sensorial e Inclusiva convida companhias de teatro e dança que, com seus espetáculos, ultrapassam paradigmas das formas ditas normais de expressão e de percepção da arte.
As obras fazem refletir sobre a questão do corpo com deficiência e desafiam os limites que os sentidos possuem independente da importância que cada um tem para cada indivíduo. Os espetáculos são capazes de mostrar que a pouca acuidade ou a ausência de determinado sentido pode intensificar a potencialidade poética da obra e não ser apenas um obstáculo para a sua percepção.
A SENTIR – 2ª Mostra de Arte Sensorial e Inclusiva, a ser realizada no Centro Cultural Banco do Brasil, em Brasília, contará com 10 apresentações de espetáculos de Artes Cênicas e Dança executados por uma companhia do Distrito Federal (Projeto Pés), uma do Rio de Janeiro (Escola de Gente – Os Inclusos e os Sisos), duas de São Paulo (Marcos Abranches e Grupo Sensus) e uma da Eslovênia (Barbara Pia Jenič). Além dos espetáculos, será realizada uma oficina de dança para pessoas com ou sem deficiência, além de uma palestra e uma mesa de debate sobre arte, deficiência e inclusão.
A proposta é apresentar diferentes perspectivas de produção artística e alternativas de vivenciar a arte por meio de experimentações sensoriais inusitadas. São espetáculos que desafiam os paradigmas do corpo, que podem ser “vistos” a partir da sonoridade, “ouvidos” pelo olfato, “escutados” por meio do silêncio dos gestos.
Todo o projeto em sua extensão contempla ações de acessibilidade cultural. A SENTIR prevê em todos os espetáculos tradutores em libras para deficientes auditivos e audiodescritores para deficientes visuais com rádios para transmissão simultânea, acessibilidade estrutural para cadeirantes, impressão de folder em braile, produção de site com recursos de acessibilidade e um monitor responsável pela integração do público com os espetáculos. De acordo com dados da CODEPLAN, cerca de quase um quarto da população possui algum tipo de deficiência. São 22,23% dos habitantes do Distrito Federal
A ideia, além de promover as ações de acessibilidade, é fazer interagir diversos públicos e artistas com ou sem deficiência e mostrar que a arte deve ser produzida e consumida por todos, independente de limitações físicas ou sensoriais.

Programação

Espetáculos

  • Dia 13 de dezembro, às 19h, Teatro I do CCBB/DF:
    Barbara Pia Jenič
    (Eslovênia) – Lecture About Sensorial Language In Senzorium
    Classificação: 12 anos
    Duração: 120 minutos
    Com audiodescrição e librasA palestra/performance realizada por Barbara Pia Jenič trata-se de uma apresentação teórica e prática do que é a linguagem sensorial, seu contexto internacional e histórico e o modo de desenvolvimento do grupo Senzorium na Eslovênia. A artista mostra como a poética da linguagem teatral sensorial baseia-se em várias ferramentas: Escuridão, silêncio, solidão, linguagem dos sentidos, inconsciente coletivo, sincronismo, espaço vazio, imagens internas, arquétipos e símbolos. Os visitantes são viajantes: são os principais atores e se deslocam de um espaço para outro. Os artistas de uma história são personagens secundários nas histórias dos visitantes. Para a artista, é extremamente difícil para a linguagem teatral sensorial corresponder à poética teatral convencional. A especificidade da linguagem teatral sensorial é que ela trata os visitantes individualmente. Barbara Pia é uma das principais expoentes da linguagem sensorial teatral no mundo e diretora do grupo Senzorium da Eslovênia. A palestra/performance será apresentada em Espanhol.
  • Dias 14 e 15 de dezembro, às 19h, Teatro II do CCBB/DF:
    Similitudo – Projeto Pés – (DF)
    Classificação: livre
    Duração: 45 minutos
    Com oferta de audiodescrição, não há necessidade de Libras pois não há oralidade no espetáculo.SIMILITUDO propõe-se ao cotidiano em cena. Um dia se passa, do despertar ao por do sol. O espetáculo aborda questões do convívio social no dia-a-dia e de como esse cotidiano, muitas vezes, poda e molda padrões de movimento, de relacionamento e até de sensibilidade. Estreado em 2015, o espetáculo Similitudo é o terceiro espetáculo do grupo Projeto PÉS, e considerado pelo grupo, como seu espetáculo mais maduro, unindo, de maneira plástica e poética, corpos diferenciados, com e sem deficiências. Vemos em cena, pessoas com paralisia cerebral, síndromes diversas, deficiências de formação óssea e transtornos de desenvolvimento, dançando com e entre corpos outros, ditos, sem deficiências, buscando provocar, assim, questionamentos sobre a poesia corporal estabelecida pelo jogo da relação. Com apresentações frequentes, entre 2015 e 2017, recentemente, em novembro deste ano, o espetáculo Similitudo, foi apresentado no Teatro La Baita, na cidade de Bariloche (Argentina), como representante do Brasil, no evento Arte X Igual, Festival Internacional de Artes para Pessoas com Deficiência. Direção, Encenação e Coreografias: Rafael Tursi.
  • Dias 14 e 15 de dezembro, às 21h, Teatro I do CCBB/DF:Ninguém mais vai ser bonzinho – Escola de Gente / Os Inclusos e os Sisos
    Classificação: livre
    Duração: 60 minutos
    Com audiodescrição e LibrasOs Inclusos e os Sisos – Grupo de Arte e Transformação Social – foi criado no ano de 2003 pela Escola de Gente a partir de mobilização de Tatá Werneck junto aos alunos(as) de Artes Cênicas da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), despertou plateias para a causa da inclusão através do teatro. Desde sua formação, o grupo já percorreu 14 estados de todas as regiões do Brasil, somando um público de mais de 30 mil pessoas. Fundada pela jornalista Claudia Werneck em 2002, a ONG Escola de Gente já sensibilizou mais de 400 mil pessoas de 16 países das Américas, África, Oceania e Europa, além de contar com parceiros/as da sociedade civil, governos, Ministério Público da União, conselhos de direitos, cooperação internacional e empresas. Por sua atuação, a ONG recebeu 41 reconhecimentos nacionais e internacionais, dentre elas duas da Presidência da República: o “Prêmio Direitos Humanos 2011″ na categoria “Direitos de Pessoas com Deficiência”, a mais alta condecoração do Estado brasileiro na área dos Direitos Humanos; e a Ordem de Mérito Cultural 2014, por usa contribuição ao país na categoria “Artes Integradas”.
  • Dias 16 e 17 de dezembro, às 16h, Teatro II do CCBB/DF:O pequeno príncipe sensorial – Grupo Sensus (SP)
    Classificação: livre
    Duração: 120 minutos (25 minutos por trajeto)
    Com LibrasO Pequeno Príncipe Sensorial é uma performance “ambulante”. O público é convidado a percorrer um trajeto conduzido pelos atores que, além de guiá-lo, interpretam textos da obra de Antoine de Saint-Exupèry, e o estimulam sensorialmente através do tato, olfato e audição. Por utilizar a plateia vendada, o Pequeno Príncipe e todo seu simbolismo, dialoga com a linguagem do Sensus, especialmente quando diz: “o essencial é invisível aos olhos”. Valores como amizade, amor e caráter são introduzidos de forma poética nesta obra encantadora que emociona crianças e adultos. Direção de Tereza Piffer.
  • Dias 16 e 17 de dezembro, Sábado às 21h e Domingo às 19h, Teatro I do CCBB/DF:

    D… Equilíbrio – Marcos Abranches (SP)
    Classificação: 14 anos
    Duração: 45 minutos
    Com audiodescrição

    Marcos Abranches é coreógrafo e dançarino com coreoatetose, deficiência física rara decorrente de uma lesão cerebral. Não é uma doença e sim um estado patológico que se manifesta a partir de movimentos involuntários, intermitentes e irregulares da face e dos membros. Marcos acha importante enfatizar que não possui nenhuma limitação intelectual e que utiliza da própria deficiência como referência de estudo para a construção de sua linguagem artística corporal, sendo o único coreógrafo brasileiro com paralisia cerebral a propor um estudo sobre dança contemporânea.
    D…Equilíbrio” inspirou-se especialmente no filme “Bicho de Sete Cabeças”, de Laís Bodanzky, adaptado do livro “Canto dos Malditos” de Austregésilo Carrano. O bailarino que vai ministrar ainda uma oficina intitulada “Coreoatetose” (causada por paralisia cerebral) chegou a conhecer o escritor. O solo reflete a relação entre equilíbrio e desequilíbrio dentro da parcialidade de movimento do dançarino Marcos Abranches. Ele oscila o corpo para despertar do vazio e isolamento causado pelo desequilíbrio. A desestética do movimento é sentida pelo abandono e pela rejeição, entendendo que o alívio está no amparo do amor. Investiga no movimento do corpo um mundo sem angústia, sem dores, sem desespero. Busca a vida. Encontra na dança o equilíbrio do corpo e o belo da alma.

Oficinas e atividades paralelas

  • Palestra / Mesa de debate – Arte, deficiência e inclusão – 14 de dezembro às 15h (UNB)
    Com LibrasCoordenação: Everton Luis Pereira. Antropólogo e professor do Departamento de Saúde Coletiva da Universidade de Brasília. A deficiência ainda se configura como um tema pouco debatido nos diferentes meios, sejam eles na sociedade em geral ou nas universidades. Trata-se a deficiência como se fosse uma questão a ser apenas abordada por especialistas, grande medida médicos, psicólogos e assistentes sociais, deixando os demais pouco expostos a problematização da questão e debate de um tema tão pertinente. As artes, neste sentido, é um dos espaços que pouco se debate o tema e pouco vem sendo feito no sentido de reconfigurar as formas de pensar e fazer teatro e dança a partir dos corpos diferentes.
  • Barbara Pia Jenič (Eslovênia) – Sensorial theatre language in Senzorium
    15 de dezembro às 15h (UNB)
    Auditório 01
    Faculdade de Ciências da Saúde (FS)
    Campus Universitário Darcy Ribeiro
    Universidade de Brasília (UnB)
    Com Libras e audiodescriçãoA palestra/performance realizada por Barbara Pia Jenič trata-se de uma apresentação teórica e prática do que é a linguagem sensorial, seu contexto internacional e histórico e o modo de desenvolvimento do grupo Senzorium na Eslovênia. A artista mostra como a poética da linguagem teatral sensorial baseia-se em várias ferramentas: Escuridão, silêncio, solidão, linguagem dos sentidos, inconsciente coletivo, sincronismo, espaço vazio, imagens internas, arquétipos e símbolos. Os visitantes são viajantes: são os principais atores e se deslocam de um espaço para outro. Os artistas de uma história são personagens secundários nas histórias dos visitantes. É extremamente difícil para a linguagem teatral sensorial corresponder à poética teatral convencional. A especificidade da linguagem teatral sensorial é que ela trata os visitantes individualmente. Barbara Pia é uma das principais expoentes da linguagem sensorial teatral no mundo.
  • Oficina Coreatetose com Marcos Abranches, 16 de dezembro, 10h (PROMODEF – Estação 112 sul metrô)
    Com Libras
    Oficina de dança para pessoas com ou sem deficiência com o coreógrafo Marcos Abranches a “Oficina Coreoatetose” tem seu foco no refinamento da linguagem da dança inclusiva dentro do universo da dança contemporânea. O processo criativo da oficina está centrado no estudo do corpo de Marcos Abranches e tem como referências o método Feldenkrais, o Butoh, o Danceability e o Contato-improvisação.

Ingressos

  • Entrada gratuita para todas as atividades mediante retirada de senha, a partir de 1 hora antes do espetáculo, na bilheteria do CCBB.

*Valores dos ingressos sujeitos à alterações sem aviso prévio.

Mais Informações

  • Telefone: (61) 3108-7600
  • Classificação: Confira a programação
••••••••••

Cadastre-se no DeBoa.Com e receba e-mails com as melhores festas, shows, boates, agenda cultural e dicas de Brasília.

••••••••••

Deixe um comentário

*

publicidade

publicidade

••••••••••

publicidade

••••••••••
DESTAQUE
10 Coisas para Fazer no Final de Semana

10 Coisas para Fazer no Final de Semana

Que tal seguir nossas Dicas e ter um final de semana incrível? Saia da rotina, Brasília tem muito para você... Mais

Natal com receitas do chef Dudu Camargo

Natal com receitas do chef Dudu Camargo

Dudu Bar e Simples Assim vão receber pedidos de encomendas, além de cardápios natalinos para serem saboread... Mais

Boteco da Stadt – Happy hour no Stadt Bar & Music

Boteco da Stadt – Happy hour no Stadt Bar �...

Happy hour de terça a quinta e domingos com preços pela metade. Confira!... Mais

Megapista de Patinação no Gelo

Megapista de Patinação no Gelo

Megapista de Patinação no gelo chega ao Parque da Cidade. Confira!... Mais

NORT – Taverna ao ar livre

NORT – Taverna ao ar livre

NORT - Taverna ao ar livre acontecerá todos os sábados de 18/11 a 23/12 na área externa do Empório Zingaro... Mais